Fechar Menu [x]

As Lágrimas Quentes de Amor que só meu Secador Sabe Enxugar

Artes e Espetáculos | ENTREVISTAS | Thais Polimeni 05/02/15 - 03h Thais Polimeni

as-lagrimas-quentes-de-amor-que-so-meu-secador-sabe-enxugar-banner

No sábado, dia 24 de janeiro de 2015, houve a reestreia do espetáculo “As Lágrimas Quentes de Amor que só meu Secador Sabe Enxugar“. Já queria ver a peça desde que recebi o projeto em 2013, se não me engano, para captação de patrocínio via ProAc. A temática é super atual e a abordagem é universal.

Com uma montagem muito bem dirigida, “As Lágrimas Quentes de Amor que só meu Secador Sabe Enxugar” nos envolve pela interpretação dinâmica de Paula Cohen, pelas cores quentes, pelo criativo cenário e pela trilha sonora delicadamente escolhida, dando voz a novas cantoras brasileiras, como Ana Cañas, Bárbara Eugenia, Letuce e Tulipa Ruiz.

Paula Cohen, no papel de Elvira, conta, de forma tragicômica, a história da vida de uma mulher no momento pós-separação. Os encontros, reencontros e descobertas compõem a busca pela própria identidade.

Ainda não tratei isso na terapia, mas filmes, séries e peças de teatro que abordam as dores e as delícias de nós, mulheres modernas (um clichê, mas certamente uma verdade), me hipnotizam! Depois de “Loucas pra Casar” ter atingido 3 milhões de espectadores e o livro “Divã” ter se transformado em peça de teatro, filme e série, constatei que se hipnotizada por esses temas é mais uma característica da mulher moderna.

Fizemos uma entrevista com a atriz e dramaturga Paula Cohen, que nos apresentou detalhes e reflexões sobre “As Lágrimas…”. Vida longa ao espetáculo!

as-lagrimas-quentes-de-amor-que-so-meu-secador-sabe-enxugar-1[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Quando você decidiu escrever o texto e por qual motivo?
[Paula Cohen] Eu e Pedro Granato temos uma longa e fértil parceria desde que montamos “Navalha na Carne”, em 2008. O espetáculo teve várias temporadas e, em uma de suas viagens, a caminho de Fortaleza, eu falei com o Pedro da minha vontade de fazer um espetáculo solo. Ele, na hora, se prontificou para dirigir e eu adorei, já que queríamos mesmo começar a pensar em um novo espetáculo juntos.

Decidimos por estudar Florbela Espanca, poetisa portuguesa pela qual eu nutro uma admiração e um carinho muito grande por vida e obra, e naquele momento eu estava apaixonada e queria vivê la. Começamos a estudar e, num determinado dia (o incrível é que foi ao mesmo tempo!), nós dois chegamos com novos planos: continuar, sim, falando dos caminhos tortuosos do amor, essa coisa à flor da pele, assunto que também permeia a obra de Florbela, mas de uma maneira mais contemporânea. Com a propriedade da pele que sente, das história que ouvimos nesta fatia de vida que nos tocou viver, e sempre amparados pela brincadeira deliciosa da ficção.

Nós dois decidimos, então, escrever a nossa própria história. E aí nasceu Elvira, e aí nasceram “As Lágrimas Quentes de Amor que só meu Secador Sabe Enxugar”.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] A ideia inicial era escrever um texto para ser encenado no teatro ou isso foi se formando ao longo da escrita? Poderia ter resultado num livro ou num longa?
[Paula Cohen] Sim, sempre foi pensado para ser teatro. Mas o que não nos tira a possibilidade de adaptar para outras linguagens. Já estamos pensando em transformá-la em filme, também.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] A opção pelo monólogo também era a ideia inicial ou foi decidida durante o processo?
[Paula Cohen] Sim, eu achava que já estava na hora de contar uma história sozinha. Está sendo uma experiência maravilhosa e muito transformadora como atriz!

Mas o engraçado é que, na véspera da estreia, eu falava para mim mesma: “Por que que eu me meti nessa?!”. Aquele paniquito que bate quando você pensa racionalmente no que esta fazendo, ou seja, durante 70 minutos aquelas pessoas estão olhando para você e esperando que você conte, que você seja, que você faça!! E você vai lá viver!! E tudo acontece! E você se surpreende o tempo todo!!

O teatro é mágico eu sou absolutamente apaixonada e grata a ele. Sem duvida, este é um momento dos mais especiais da minha trajetória.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] A temática abordada no texto tem sido bem recebida pelo público ultimamente, como o longa “Loucas pra Casar”, que já atingiu 3 milhões de espectadores e a peça/ longa “Os Homens são de Marte… E é pra lá que eu vou!“. Por qual motivo você acha que esse tema tem despertado tanto interesse?
[Paula Cohen] O amor sempre moveu o mundo, pelo menos para mim!! (risos)

Todo ser se interessa por esse assunto, é presente e pulsante na vida das pessoas. E as coisas, neste quesito, estão em constante transformação, as formas de se relacionar estão se restabelecendo, os formatos… Porque fomos mudando muito ao longo do tempo. As mulheres, então, nem se fala!! A partir da revolução industrial, as mulheres entraram no mercado de trabalho e as coisas foram se transformando mais e mais e tudo muito depressa. Desejos de realizações em vários campos, as armadilhas das convenções sociais, os pré requisitos que nos fazem cumprir, é tanto assunto!! Mas sempre os labirintos do amor e seus estranhos caminhos rumo a realização. A estranha capacidade de delegar a felicidade ao outro… Enfim, vocês tão com tempo? (risos)

A Ingrid Guimarães é uma amiga muito amada minha, Monica Martelli, também, admiro muito as duas!! Mulheres como eu, apaixonadas pela vida, plenas e observadoras, românticas e realizadoras. Esse é um assunto muito importante para todas nós! O assunto rende nos palcos, nas telas, nas mesas dos bares, nas camas… Enfim, acho que todos nós, inevitavelmente, somos capturados pela teia do coração!

as-lagrimas-quentes-de-amor-que-so-meu-secador-sabe-enxugar-2[CULT CULTURA | Thais Polimeni] No final do espetáculo “Os Homens são de Marte…”, a Mônica Martelli também comenta que é a história da vida dela. A história de “As Lágrimas Quentes de Amor que só meu Secador Sabe Enxugar” também é sobre sua vida?
[Paula Cohen] Em “As Lágrimas Quentes…” tem, sim, histórias minhas, tem histórias do Pedro Granato, de amigos nossos e tem muita ficção, também.

Eu tinha um blog em que escrevia muita poesia e crônica. Alguns textos de lá foram o start da nossa dramaturgia.
Mas ela foi tomando um caminho tão próprio que, hoje, mesmo as histórias que eu vivi, já acho que é a minha imaginação roubando a vivência da minha personagem, Elvira. (risos)

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Eu, particularmente, adoro obras com títulos longos, como “As Lágrimas Quentes de Amor que só meu Secador Sabe Enxugar”. Teve algum motivo especial por você ter dado esse nome à peça? Havia outras opções? Quais?
[Paula Cohen] Não, não havia outras opções… Um dia, o Pedro chegou com esse título e eu amei! A peça não estava pronta, mas, a partir daí, acabou sendo determinante, inclusive na encenação, pois Elvira dá o seu depoimento ao pé do secador. Eu também, particularmente, adoro títulos longos!

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Eu sei que vocês tentaram patrocínio via ProAc ICMS (na época, eu trabalhava com captação e recebi seu projeto. Chegamos a enviar pra Marisa, se não me engano). Aproveito para parabenizar pelo book do projeto, que era de uma qualidade raramente vista! Vocês chegaram a conseguir patrocínio via ProAc? Se não conseguiram, enxergam alguma explicação para essa ausência de respostas ou respostas negativas por parte das empresas?
[Paula Cohen] Obrigada!! Sim, o projeto sempre foi muito bem cuidado. O Pedro Granato e eu temos um prazer pelo estético! E ele, além de ser esse diretor incrível, entende de tudo relacionado ao espetáculo. Por exemplo, a arte foi ele que fez. Pensamos em cada coisa, tudo nesta peça é muito cuidado, é a nossa menina dos olhos.

Naquela época, não captamos e não sei por quê. São vários fatores, o espetáculo ainda não estava pronto, digo, encenado. Agora acabamos de aprovar mais um ProAc. Desta vez, com o espetáculo aí, na estrada, e com tanta coisa linda escrita sobre ele nos meios de comunicação, acho que vai ficar mais fácil.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Qual a importância do patrocínio da Porto Seguro para a realização do espetáculo?
[Paula Cohen] Importantissimo!!! E eu quero agradecer sempre e muito, pois hoje em dia, sem patrocínio não conseguimos realizar. Arte é o legado cultural de um Pais!!! É fundamental na formação de um individuo. Amplia a sua capacidade criativa, te aproxima da subjetividade, te espelha, subverte! Enfim, é muito importante que as empresas invistam cada vez mais em teatro. Eu fico muito feliz, pois a Porto Seguro é a empresa que mais apoia Teatro!! Sou encantada com a iniciativa deles!! Parceiros absolutos, que acreditaram no nosso projeto e o viabilizaram. Temos que ter mais empresas mobilizando, fervilhando e ajudando a viabilizar, porque boas ideias e projetos interessantes não faltam!

Gostaria muito de agradecer ao teatro, que nós escolhemos e que nos acolheu sempre de maneira muito receptiva e amorosa. Sou muito orgulhosa de estar em cartaz no Teatro Mube Nova Cultural, acho incrível contar esta história dentro de tão belo Museu.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Há algum projeto para dar continuidade ao espetáculo? Temporadas em outras cidades, livro, etc?
[Paula Cohen] Sim, queremos fazer muitas e muitas temporada com esta peça. Estamos apenas começando! E da maneira tão incrível que ela vem sendo recebida, só isso já nos deixa ter certeza da sua continuidade.

Criamos um espetáculo fácil de viajar. Queremos muito além de viajar pelo Brasil. Pretendemos levar este espetáculo para Uruguai, Argentina, Espanha… Eu sou filha de uruguaios, falo espanhol fluente e está nos planos transitar com as nossas Lágrimas por ai! O mundo é muito grande!!

as-lagrimas-quentes-de-amor-que-so-meu-secador-sabe-enxugar-3As Lágrimas Quentes de Amor que só meu Secador Sabe Enxugar
De 24 de janeiro a 1º de março
Sábados, 20h30; Domingos, 18h
Duração: 70 minutos
Classificação indicativa: 14 anos
R$40,00 (compre aqui seu ingresso!)

Ficha Técnica
Texto: Paula Cohen e Pedro Granato
Direção: Pedro Granato
Iluminação: Karine Spuri
Figurinos: Paula Cohen
Cenário: Pedro Granato
Trilha sonora com músicas de Ana Cañas, Bárbara Eugenia, Letuce e Tulipa, entre outros.
Produção Executiva: Isabella Martino
Assistente de Produção: Victória Martinez
Visagista: Mário Nova

Tags: , , , , , , , , ,

COMPARTILHE ESTE POST

COMPARTILHE

COMPARTILHE

Thais Polimeni

Thais Polimeni

Thais Polimeni é editora e uma das fundadoras do blog Cult Cultura e, ao lado de Leonardo Cassio e Daniel Ávila, é sócia-diretora da Carbono 60 - Economia Criativa. Publicitária, jornalista, paulistana, tiete e geminiana, Thais é viciada em teatro, cappuccino e wi-fi. Dizem que é descendente direta de Buda, mas na TPM, nem ela se aguenta. É colunista do Jornalirismo e tem seu alter-ego publicado aqui: facebook.com/thaisPOULAINmeni

RELACIONADOS