Fechar Menu [x]

Hell

Artes e Espetáculos 15/10/10 - 08h Cult Cultura

Dirigida por Hector Babenco e com Barbara Paz e Ricardo Tozzi no elenco, Hell é baseada no livro homônimo da jovem escritora francesa Lolita Pille, que, ao lançar o romance, tinha apenas 19 anos.

Sim, enfatizo o “apenas” porque depois que você assistir à peça, vai se surpreender com a pouca idade da criadora da personagem.

Hell, protagonista, é uma jovem riquíssima, consumista e cocainômana que vai às compras diariamente, sai para a balada e se diverte com muitas drogas, álcool e sexo:

“Eu sou o mais puro produto da geração Think Pink, meu credo: seja bela e consumista. (…) Eu sou francesa e parisiense e estou me lixando pro resto, eu pertenço a uma única comunidade, a mui cosmopolita e controversa tribo Gucci Prada – a grife é meu distintivo. Sou um pouquinho caricatural. Confessa que você me acha uma completa babacona com meu visual Gucci, o sorriso branco de louça de banheiro e os cílios de borboleta”. – Hell

Até que Hell encontra Andrea, o galã de Paris, com o mesmo perfil dela e que, juntos, descobrem o amor. É claro que há muita história depois disso, já que o romance não se trata necessariamente do estilo “… E viveram felizes para sempre”. Tem muita adrenalina (y otras cositas más) pela frente.

Os objetos de cena seguem o conceito da peça: Schutz, Rosa Chá, Christian Louboutin e Giuliana Romano. O figurino é assinado por Giovanni Bianco, diretor de arte da Arezzo, Colcci e Fórum.

Vale lembrar que Hector já dirigiu uma peça de Sam Shepard, o mesmo autor de “Mente Mentira”, tema de um dos posts do blog. E, assim como “Mente Mentira”, Hell nos convida a refletir.

Durante o espetáculo, fiquei filosofando… Será que pessoas que vivem como Hell são felizes? Qual será a razão de viver (juro, penso nisso sempre)? Será que a razão de viver é comprar, comprar, comprar, ir pra balada, beber, usar drogas…? Em um primeiro momento, pensei “Não…”, mas… Por que não? De repente, sim! Será que a razão de viver é acordar às 6h, ir para o trabalho, trabalhar das 8h às 18h em uma empresa onde você nem acredita no produto que vende, voltar pra casa, assistir TV e ir ao cinema no final de semana? Minha reação foi a mesma da primeira pergunta. É, aí a eu me lembrei da clássica e sábia composição “Sei lá“, de Vinícius de Moraes: “A vida é uma grande ilusão// A vida tem sempre razão”.

Hell
Teatro do SESI – São Paulo (Av. Paulista, 1313 – Bela Vista – Metrô Trianon-Masp).
Temporada: 7/10 a 19/12/2010 – de quinta-feira a domingo, às 20h.
Entrada: Franca às quintas-feiras e sextas-feiras. Nos dias gratuitos, a distribuição dos ingressos tem início a partir da abertura da bilheteria no mesmo dia do evento.
Horário de funcionamento da bilheteria: de quarta-feira a sábado, das 12h às 20h30; domingo, das 11h às 19h30. São distribuídos dois ingressos por pessoa.
Sábados e domingos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Vendas na bilheteria do teatro ou pela Tickets For Fun (11-4003-5588 ou www.ticketsforfun.com.br). São vendidos dois ingressos por pessoa.
Duração: 75 minutos
Gênero: drama
Informações: – (11) 3146-7405 / 7406
Agendamento de escolas e de indústrias: segunda a sexta, das 10h às 13h e das 14h às 17h pelo tel. (11) 3146-7396 / 7439.

Fontes: http://www.miscelaniumfashion.com/2010/10/peca-de-teatro-hell.html, http://veja.abril.com.br/idade/estacao/veja_recomenda/140104/hell.html

Por Thais Polimeni

Tags: , , , ,