Fechar Menu [x]

Mário Bortolotto

Artes e Espetáculos 07/12/09 - 11h Cult Cultura

“Na correria” é a expressão que eu mais tenho falado e ouvido nesse final de ano. “E aí, como vc tá?”, “Ah, to bem, na correria!”.
Esse final de semana não foi diferente. Sexta fui pra pós-graduação à noite, sábado também – o dia todo, e domingo tinha que finalizar um projeto pra entregar hoje na Secretaria da Cultura.
Ou seja, sábado eu geralmente fico fora do ar, não tomo conhecimento de nada que ocorre. Eis que eu acordo nesse domingo e acesso o Twitter. Por ele, descubro o que havia acontecido às 5h30 da manhã de sábado, na Praça Roosevelt.
Na madrugada de sábado, quatro bandidos invadiram Espaço Parlapatões, onde funciona teatro e bar, em uma tentativa de assalto. O dramaturgo Mário Bortolotto foi atingido por três tiros . As balas atingiram o tórax, acertando pulmão e coração, e o pescoço. (…) O ilustrador e músico Carlos Carcarah foi atingido na perna, mas não corre risco de vida.” (Fonte: O Globo)
Fiquei chocada. Passei a tarde toda meio que sem chão, com aquele aperto no peito, uma certa angústia…
Vivo em São Paulo desde que nasci. Diariamente fico sabendo de casos de violência e acidentes, e acabei desenvolvendo uma certa resistência a esses fatos. Mas essa notícia da Praça Roosevelt me abalou.
Conheço o Mário porque ele é o símbolo da Praça Roosevelt, o símbolo do teatro paulistano. Desde que eu comecei a fazer teatro, ouço falar dele. Nunca conversei com ele, mas tenho grandes amigas que o admiram e dizem que ele é uma pessoa super do bem.
Com todo aquele tamanhão, ele anda pela praça Roosevelt e não passa despercebido. Ele ajudou na revitalização daquele espaço, e quer ver só gente animada, gente amiga. O que eu percebo é que o cara valoriza a amizade acima de tudo e só isso já merece nossa admiração. Bortolotto é o xerife da Praça. Um xerife sensível, especial, que há anos vem falando pra atirarem no dramaturgo virtualmente, mas que não teve medo de usar esse imperativo na vida real quando viu seus amigos assustados com a invasão no Parlapatões.
Hoje ele está internado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo* e já tomou 8 bolsas de sangue. Vamos torcer e rezar todos juntos pela sua recuperação, assim como foi feito no ato contra a violência organizado ontem, domingo, na Praça Roosevelt. Mandaremos boas energias, pensaremos no quanto Mario Bortolotto já fez pelo Teatro Paulista e no muito que tem que fazer.
Quem quiser e puder, é interessante doar sangue na Santa Casa, para reposição das bolsas. É um ato que vai ajudar não somente o Mario, como também muitas outras pessoas.
O Teatro não vai se intimidar com a violência, muito menos se submeter aos bandidos, aos que querem a escuridão nas ruas, aos querem que o povo fique em casa, acuado. O Teatro Resite! Bortolotto Viverá!” – Blog dos Parlapatões
O endereço do Hemocentro da Santa Casa é Rua Marquês de Itu, 579, Bairro Vila Buarque. São Paulo/SP. Fica próximo à estação Santa Cecília do metrô.
O horário de atendimento é de Segunda a Sexta, das 7h às 18h, e de Sábado, das 7h às 15h. Também há a possibilidade de agendar sua doação pelo site: Clique aqui
Requisitos básicos para doar sangue
  • Trazer documento oficial de identidade com foto (identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista ou carteira do conselho profissional)
  • Estar bem de saúde
  • Ter entre 18 e 65 anos
  • Pesar no mínimo 50 Kg (desconsiderando o peso da roupa)
  • Vir alimentado, evitando apenas alimentos gordurosos nas 4 horas que antecedem a doação
  • Ter dormido por pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas
  • Não ter se exposto a situações de risco para doenças transmissíveis pelo sangue, como: Diversos parceiros sexuais, uso de drogas e relações sexuais com parceiros não habituais sem preservativo (camisinha).
Situações que impedem temporariamente a doação de sangue
  • Febre
  • Ter sintomas de gripe ou resfriado até 1 semana antes da doação
  • Anemia
  • Gestantes, até 3 meses após parto normal, até 6 meses após parto cesariana, ou se estiver amamentando
  • Aborto impede a doação por 12 semanas
  • Doenças sexualmente transmissíveis somente após 12 meses da cura
  • Homem que tenha doado sangue há menos de 60 dias ou que tenha doador 4 vezes nos últimos 12 meses
  • Mulher que tenha doado sangue há menos de 90 dias ou que tenha doado até 3 vezes nos últimos 12 meses
  • Tatuagem nos últimos 12 meses
  • Tratamento dentário: Período variável de 1 a 7 dias
  • Cirurgia: Período variável de 2 a 6 meses
  • Uso de cocaína inalátoria há menos de 1 ano
  • Ter recebido transfusão de sangue nos últimos 12 meses
  • Ter algum dos fatores de risco para AIDS e Hepatite, como por exemplo: relação sexual sem preservativo (camisinha) com parceiro não habitual a menos de 1 ano e pessoas que estiveram presas há menos de 1 ano
  • Alguns tipos de medicamentos
Para mais informações acesse:
http://www.santacasasp.org.br/doesangue/doacao-requisitos.asp
ou ligue 11 2176-7258
Twitter informa:
*ivamcabral Viv
a!! @joseserra_ me informa agora q falou com Sec. Saúde q disse q Bortolotto acordou e está sem nenhuma sequela neurológica.
Por Thais Polimeni
Tags: , , , ,

COMPARTILHE ESTE POST

COMPARTILHE

COMPARTILHE

Cult Cultura

Cult Cultura

Plataforma digital de cultura e economia criativa.

RELACIONADOS