Fechar Menu [x]

96 Olhares Sobre São Paulo: Conheça o Projeto Entrelinhas Urbanas!

Artes Visuais | Leonardo Cássio | Multicultural | Patrimônio 04/04/17 - 03h Leonardo Cassio

63-entrelinhas-urbanas

A relação dos habitantes com uma megalópole como São Paulo geralmente não é fácil. Problemas gerados por trânsito, violência, pobreza e ineficiência de serviços públicos fazem com que muitas pessoas não tenham um sentimento favorável ao local onde vivem. Para muitos, São Paulo é um lugar de passagem, uma cidade para se trabalhar e dormir, e nada mais do que isso. Tanto é que desconhecemos a maior parte das regiões que compõe a cidade e conhecemos pouquíssimo sobre sua história, arte e cultura, tanto que a própria prefeitura lançou uma série de roteiros para divulgar as riquezas paulistanas (clique aqui para acessar os roteiros!).

Você sabia que São Paulo tem 96 distritos que abrigam mais de 4 centenas de bairros? A pergunta é o mote central do projeto “Entrelinhas Urbanas SP“, idealizado por Mariana Jorge (sócia da da FIB, que criou a capa do CD da Ana Gilli, que produzimos em 2012), responsável, também, pela curadoria, que reuniu um time de 96 artistas para retratarem a região – distrito – onde moram. As 96 obras de arte resultantes serão expostas na Praça das Artes, a partir do dia 6 de abril e comporão o livro homônimo que será lançado no dia 7 de abril na exposição, com produção editorial da Sê-lo.

O projeto contou com recursos de crowdfunding e sobre o projeto a idealizadora Mariana Jorge declarou o seguinte: “Há dois anos, tivemos uma ideia que parecia boa demais para nunca ter acontecido. Reunir em um único lugar toda São Paulo através da arte. Resolvemos olhar de perto cada um dos 96 distritos da cidade. Mas nunca foi nossa intenção o olhar de fora, o olhar estrangeiro. Queremos explorar cada bairro através dos olhos de quem vive e convive com estes espaços. Convidamos um artista de cada um dos 96 distritos de São Paulo para representar o lugar onde vive”.

O caráter colaborativo e múltiplo de Entrelinhas Urbanas reflete a diversidade social de São Paulo. A heterogeneidade das obras ajuda a quebrar estereótipos construídos sobre bairros e regiões da cidade. A pintura de Helder Holiveira representa Marsilac, umas das regiões mais afastadas de São Paulo. O artista carrega nas cores, transmitindo uma sensação de alegria pulsante, viva, diferente da imagem conhecida – imagem criada – do lugar.

zona-lesteJoão Pinheiro ilustra a região de Cidade Líder, extremo da Zona Leste. Ilustrador, artista visual e produtor de histórias em quadrinhos premiado, Pinheiro vai ao oposto do colega Holiveira e cria uma obra em preto e branco que retrata fielmente uma periferia. A região central da Sé foi representada por Dulcineia Catadora, que fez uma obra sóbria, a lápis, do viaduto Glicério. O Tremembé – Zona Norte -, de autoria de Fernando Jesus e o Brás – Centro-Leste – assinado por Lucas Tonon utilizam-se da fantasia para criticar.

A exposição Entrelinhas Urbanas ficará até o dia 14 de junho na Praça das Artes. A abertura ocorrerá no dia 6 de abril, das 19h à 0h. Entrada gratuita. O livro está com pré-venda até o dia 7 de abril – data do lançamento – no site da editora Sê-lo e a tiragem é limitada.

Entrelinhas Urbanas – Exposição
De 7 de abril a 14 de junho de 2017
Terça a sexta, das 10h às 20h. Sábado e feriado, das 10h às 18h
Grátis

Praça das Artes
Av. São João, 281
São Paulo – SP

Fotos: Divulgação Facebook

Tags: , , , , , ,