Fechar Menu [x]

Eu me chamo Antônio

Artes Visuais | Cultura Digital | Literatura 05/12/13 - 10h Thais Polimeni

eumechamoantonio

Ele é filho de suíço e brasileira. Fala francês. Tem o mesmo nome do meu pai, do meu avô e de dois primos meus. Nasceu na África. É publicitário e meu atual amor platônico… Meu e de mais 500 meninas que estavam no lançamento do seu primeiro livro na Saraiva do shopping Paulista, no dia 3 de dezembro.

As três horas de fila não desanimaram as fãs do autor de “Eu me chamo Antônio”, livro que surgiu a partir da FanPage homônima, em que são publicadas fotos de poemas escritos em guardanapos de boteco. Ele não se chama Antônio. Não só Antônio. Pedro Antônio Gabriel Anhorn, conhecido como Pedro Gabriel, aprendeu português com 12 anos, quando veio morar no Brasil. E, certamente por isso, acabou prestando mais atenção em cada palavra, seus significados e sons, o que contribuiu muito para o desenvolvimento dessa habilidade de poetizar o cotidiano.

Hoje, a FanPage tem mais de 400 mil fãs que compartilham diariamente os “guardanapos poéticos” do personagem Antônio. O diferencial de seus poemas é que, além de brincar com as palavras, há uma preocupação estética para cada verso, transformando os guardanapos em delicadas obras de arte.

untitledO livro pode ser considerado tanto literatura quanto arte. De acordo com o release que recebi da assessoria da Editora Intrínseca, a obra faz parte de uma nova tendência literária chamada “visual writing”: “Leitores e críticos mais conservadores podem ficar perplexos, mas para as novas gerações está claro que o caminho da inovação literária passa pelo rompimento dessa barreira entre texto e visual”, comenta a pesquisadora em novas estratégias para a mídia digital do Programa Avançado de Cultura Contemporânea da UFRJ, Cristiane Costa.

Já passaram dois dias que comprei “Eu me chamo Antônio” e, apesar de ser curtinho, ainda não terminei de lê-lo. E acho que nunca vou terminar. Cada página nos convida a uma reflexão, que gera conclusões diferentes dependendo do dia que folheamos. “Eu me chamo Antônio” nos chama pra divagar sobre os Antônios e antônimos de cada dia.

Eu me chamo Antônio
192 páginas
Preço impresso: R$ 29,90
E-book: R$ 19,90

Tags: , , , , , , , ,

COMPARTILHE ESTE POST

COMPARTILHE

COMPARTILHE

Thais Polimeni

Thais Polimeni

Thais Polimeni é editora e uma das fundadoras do blog Cult Cultura e, ao lado de Leonardo Cassio e Daniel Ávila, é sócia-diretora da Carbono 60 - Economia Criativa. Publicitária, jornalista, paulistana, tiete e geminiana, Thais é viciada em teatro, cappuccino e wi-fi. Dizem que é descendente direta de Buda, mas na TPM, nem ela se aguenta. É colunista do Jornalirismo e tem seu alter-ego publicado aqui: facebook.com/thaisPOULAINmeni

RELACIONADOS