Fechar Menu [x]

10 Filmes De Terror Para Você Assistir

Audiovisual | CultIndica 22/08/17 - 02h Cult Cultura

167-filmes-de-terror

O gênero terror, que chegou a ser ridicularizado e transformado numa caricatura de si próprio por pelo menos 70% das grandes produções da década de 90, foi renovado e voltou à sua boa forma na virada do século. Histórias bizarras de seres cômicos deram lugar a bons roteiros e atuações memoráveis em grandes obras. Claro, ainda existem filmes mais trash pra quem gosta (não vou negar que também aprecio essa parte mais “leve” dos filmes de horror), mas, nessa lista, vamos destacar filmes que trouxeram o gênero de volta para o lugar que ele merece:

1. Deixe Ela Entrar
É um filme de terror, mas também pode ser um filme de romance, depende do seu ponto de vista. “Deixe Ela Entrar” é uma obra sueca que conta a história de Oskar, um menino de 12 anos que se apaixona por Eli, sua misteriosa nova vizinha. Oskar, que sofre nas mãos dos meninos mais velhos por causa do seu jeito, acaba ganhando nova motivação graças a esse novo amor, mas logo ele descobre que ela não é o que parece ser. Parece uma sinopse pouco mais criativa que o resto dos filmes de horror a que estamos acostumados, mas esse é um filme diferente. Brilhantemente dirigido por Tomas Alfredson (que vamos ver em breve dirigindo Michael Fassbender em “The Snowman”), antes de qualquer coisa é um lindo filme, visualmente falando, e também na questão de roteiro. Mais delicado que a maioria dos filmes do gênero, ele pode agradar até quem não é muito fã. Infelizmente, como é o caso de muitos grandes filmes europeus, ganhou um remake americano que não chega nem perto do original.

2. Corrente do Mal
Esse dividiu opiniões entre as pessoas com quem eu conversei na época do lançamento, no ano de 2014. “Corrente do Mal” mostra a história de uma jovem que, após ter relação sexual com um rapaz, se vê acompanhada por uma presença sobrenatural. Se trata de uma obra de arte do gênero que com certeza será lembrada por muitos e muitos anos, pelo bem ou pelo mal. A fotografia do filme faz com que muitas cenas pareçam uma bela pintura, o roteiro é super original e tem suas boas doses de susto. Enquanto dividiu opinião do público, o filme foi amplamente celebrado pela mídia especializada e carrega em si inúmeras referências a clássicos do gênero. Na minha opinião, em nada fica devendo para os gigantes do passado.

3. Invocação do Mal
Esse foi um campeão de bilheteria no lançamento. Dirigido por James Wan (diretor do primeiro Jogos Mortais), conta a história de um casal de investigadores paranormais contratados para investigar fenômenos sobrenaturais que assombram a família Perron. Inspirado por fatos reais (os personagens de Vera Farmiga e Patrick Wilson, Lorraine e Ed Warren, ficaram mundialmente famosos na época dos homicídios em Amityville), o filme traz James Wan de volta à sua melhor forma. É um filme de terror mainstream bem acima da média e a história é bem desenvolvida, graças ao ótimo roteiro de Chad e Carey Hayes. É tenso e é uma das principais forças dessa revitalização que o gênero vem passando nesse último século. Não tem muitos aspectos subjetivos como a maioria dos filmes aqui dessa lista, ele faz mais o estilo “susto atrás de susto pra levantar da cadeira”, mas ainda assim é merece ser assistido algumas vezes.

4. Extermínio
Um dos meus preferidos, “Extermínio” chama atenção pela capacidade de fazer um grande filme com “poucos” recursos. Lançado em 2002, o filme dirigido pelo genial Danny Boyle (Trainspotting, Quem Quer Ser Um Milionário?) retrata um mundo pós-apocalíptico sem ser exagerado, como a maioria das obras que se passa nesse período de extinção da humanidade. Conta com o sempre ótimo Cillian Murphy na pele de Jim, um jovem que acorda do coma em seu leito e encontra uma sociedade muito diferente da que conhecia, totalmente destruída pelo vírus Rage, que transforma quem tem contato em algo parecido com o que seriam os zumbis, caso eles existissem. O filme custou 8 milhões de dólares e faturou mais de 80 milhões desde sua estreia. Em 2007, ganhou uma sequência que, mesmo não sendo tão boa quanto a primeira parte, também vale a pena ser assistida.

5. Mártires
Mais um filme que Hollywood tentou (e falhou) reproduzir, “Mártires” é uma obra prima. Como já é uma característica do cinema francês, é um filme denso que conta a história de Lucie, resgatada de um galpão enquanto criança, onde passou por diversas torturas psicológicas e físicas e, junto de Anna, amiga que fez no orfanato, parte em busca de vingança e encerramento. Como muitos da lista, filme bastante gráfico, mas não gratuitamente gráfico, levanta questões existenciais e espirituais bem diante de nossos olhos e é uma experiência, no mínimo, singular para quem está assistindo. Ele assusta e incomoda até os fãs mais enérgicos do gênero e impressionou plateias ao redor do mundo com a sua história tão absurda e tão fácil de relacionar com vários aspectos da nossa vida, como a busca de um porquê das coisas serem como são e o que pode estar nos esperando do outro lado.

6. A Bruxa
Grande nome recente do terror, “A Bruxa” foi um sucesso de crítica, mas não conseguiu cativar da mesma forma o público. É até difícil escrever sobre ele, já que, além de ser um filme que cada um pode interpretar de uma maneira, a experiência pode ser estragada por 2 ou 3 palavras a mais. A história se passa no século 17, quando um bebê some e uma histeria religiosa toma conta da cena, onde se acredita que a filha mais velha é a real responsável pelo desaparecimento do recém-nascido. O mais importante a ser dito do filme é que ele deve ser visto como arte e não apenas entretenimento, que é o que muitos fãs de terror buscam na hora de escolher o próximo banho de sangue a ser assistido. Podemos comparar (cada um no seu canto, é claro) com o filme “Corra!” (leia aqui) que também sofreu o mesmo que “A Bruxa” sofreu. Muitas vezes somos enganados pelo trailer ou pela sinopse e esquecemos que, antes de qualquer coisa, uma obra cinematográfica tem um tema a ser analisado. Assista e tire suas próprias conclusões.

7. Boa Noite Mamãe
Mais um europeu para a lista, o austríaco “Boa Noite, Mamãe” foi um dos meus filmes favoritos de 2016. A história acompanha dois irmãos gêmeos que, após se mudarem para a nova casa, têm novamente sua mãe por perto, que esteve longe dos meninos devido a procedimentos plásticos realizados em sua face. Tudo começa a ficar assustador quando os meninos se dão conta de que a pessoa por trás de todos os curativos que escondem seu rosto talvez não seja a mãe deles. Não é o filme mais fácil dessa lista, mas é um dos mais envolventes, sem sombra de dúvidas. Maravilhosamente realizado, tem um apelo visual muito forte, por se passar por uma casa localizada numa região que é um presente para os olhos, mas que poderia se segurar em qualquer outra locação graças ao seu roteiro. É um filme que vai pedir interpretação de quem está assistindo, então assista, mas assista de verdade. Você vai ser cobrado disso!

8. O Babadook
Talvez a melhor definição de terror psicológico, “O Babadook” foi um filme que dividiu opiniões. Muitos amam, muitos odeiam, mas uma coisa é certa: ninguém fica indiferente a ele. A viúva Amelia tenta lidar com o medo que assombra seu filho, que, após ler um livro, está certo de que algo ou alguém quer matá-lo. Como toda mãe, tenta provar que isso não passa da imaginação da criança, mas eventos a fazem duvidar de sua própria sanidade e se questionar se seu filho não tem razão em ter medo da presença de Babadook. Um fato curioso sobre o filme é que o monstro Babadook acabou se tornando um símbolo LGBT em 2017, 3 anos após o lançamento do filme, graças a um post no Tumblr. Memes à parte, é um filme sobre perda e como lidar com a dor que algo assim pode acarretar.

9. Entes Queridos
Esse, talvez o mais trash entre os 10 filmes da lista, o australiano “Entes Queridos” passou despercebido do grande público, mas estamos te dando uma oportunidade de consertar esse erro. Tudo começa quando Lola convida Brent para o baile de formatura, que recusa o convite da jovem. Até aí uma história normal, porque quem nunca teve um convite rejeitado? A diferença entre pessoas normais e Lola é que pessoas normais não sequestram quem as rejeita e torturam em sua sala de jantar. A história é basicamente essa e o filme se segura enquanto derrama sangue por toda a tela. É um filme raso, mas ainda assim garante diversão para os fãs do clássico bloodbath horror.

10. Os Outros
O mais conhecido da lista e hoje já um clássico do suspense no século XXI, “Os Outros” merece estar no lugar que está. Dirigido pelo chileno-espanhol Alejandro Amenábar (do incrível “Mar Adentro” com Javier Barden), esse filme dispensa apresentações. Grace (Nicole Kidman) se encontra isolada durante a segunda guerra com sua família em uma mansão numa ilha até então deserta quando percebe que estranhos eventos acontecem ao seu redor. Um dos melhores exemplos de terror artístico e do que o gênero pode alcançar, “Os Outros” abriu a fila para inúmeras obras que o seguiram. Trilha sonora cativante acompanhada de uma bela locação e grandes atuações, se você ainda não assistiu a esse filme, chegou a hora. É uma forma inteligente de contar a velha história da casa assombrada sem fazer com que essa pareça datada. Não chega exatamente a ser um filme de terror, mas pode te assustar como poucos assustaram até hoje.

Euclides
Clids Ursulino. 29 anos. Música, cinema, futebol e política. E o que mais aparecer entre um café e outro.

Tags: , , , , , , , , , , ,