Fechar Menu [x]

“Cadê o Meu Abraço?” Compila Crônicas Atuais de Martha Medeiros

Cultura Digital | Literatura | Thais Polimeni 24/04/15 - 12h Thais Polimeni

cade-o-meu-abraco-martha-medeiros

Não é segredo pra ninguém o quanto sou fã da Martha Medeiros (a escritora, que é xará da estilista bapho). Sempre que eu leio as crônicas dela, fico com a impressão de que foram feitas pra mim. Além dos livros de crônicas compiladas, ela escreve semanalmente no Jornal Zero Hora, de Porto Alegre, e no Jornal O Globo, do Rio de Janeiro.

Nas minhas pesquisas de crônicas atuais da Martha Medeiros na internet, encontrei muitos textos a ela atribuídos, mas que não tinham nada a ver com seu estilo. Foi então que eu descobri o blog “Cadê o Meu Abraço?“, do qual, hoje, sou leitora assídua.

Desde setembro de 2010, a blogueira (e empreendedora) Luciane Cristine de Souza posta, neste endereço, textos, fotos e vídeos de assuntos do bem. Hoje em dia, o “Cadê o meu abraço?” é minha referência de textos atuais da Martha Medeiros. É onde eu consigo ter acesso a reflexões sensatas e ver o mundo de uma forma mais realista e, ao mesmo tempo, positiva.

Fizemos uma entrevista com a Lu, que edita o blog sozinha e coleciona, mensalmente, cerca de 20.000 acessos:

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Como surgiu a ideia de criar o blog?
luciane-de-souza-cade-o-meu-abraço[CADÊ O MEU ABRAÇO? | Luciane de Souza] “Sou do tempo” em que as meninas tinham aquelas agendas gigantes, com tudo que é coisa colada e escrita nelas. Recortes, letras de música, fotos, desenhos, versos. Sempre gostei de guardar coisas bonitas, mas aí veio a vida adulta e isso tudo foi deixado pra lá. Então surgiu a internet e eu percebi que eu poderia “guardar” novamente o que me fazia feliz. Lendo outros blogs, eu queria guardar tudo que eu achava bonito de uma maneira que ficasse fácil de visualizar sempre que eu quisesse, sem o risco de perder os arquivos ou até mesmo ficarem esquecidos como tantos outros que entopem o HD dos nossos computadores. Em 2010, eu não participava do Facebook, só Orkut, o que não possibilitava tal coisa.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Desde quando você começou a gostar dos textos da Martha Medeiros?
[CADÊ O MEU ABRAÇO? | Luciane de Souza] Eu lembro que eu recebi um e-mail no meu trabalho, deve ter sido em 2001, daqueles ainda feitos em Power Point, com uma musiquinha beem breguinha de fundo. O nome do texto era “Morre Lentamente” e, no final, era assinado por “Martha Medeiros”. Mais tarde, descobri que o verdadeiro título da crônica era “A morte devagar” (esta crônica é uma das mais conhecidas dela, porque foi atribuída erroneamente a Pablo Neruda). Gostei demais e fui pesquisar. Foi quando encontrei a coluna dela no extinto “Almas Gêmeas”. Gostei da linguagem dela, de como ela colocava as suas ideias de forma tão simples e objetiva, além de falar de assuntos cotidianos, tão comuns a todos nós. Quantas vezes eu pensei: Gente, ela está falando de mim?!?!?

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Por que o nome “Cadê o meu abraço?”?
[CADÊ O MEU ABRAÇO? | Luciane de Souza] Eu não lembro exatamente… Eu queria um nome que tivesse a palavra “abraço”, aí surgiu o “Cadê o meu abraço?”. Este nome me remete a um pai chegando de viagem, ajoelhando-se no chão e perguntando pra uma menininha de cabelos bagunçados que, em seguida, pula em seus braços: “Cadê o meu abraço?“.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Como você publica os textos? Você compra o jornal e digita tudo de novo, mesmo?
[CADÊ O MEU ABRAÇO? | Luciane de Souza] Não, não… (risos) Embora já tenha feito algumas vezes. Eu tenho uma amiga em Porto Alegre que era assinante do jornal e ela me enviava os textos. Tem um outro blog que também compartilha os textos dela e de outros escritores, o blog “Entrelaços“. Muitas vezes copio as crônicas de lá.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Por que você decidiu compartilhar os textos da Martha Medeiros?
[CADÊ O MEU ABRAÇO? | Luciane de Souza] Hoje moro em Florianópolis, onde o Jornal Zero Hora é comercializado normalmente, mas, quando morava em Curitiba, eu não tinha como ter acesso às colunas dela publicadas em jornais. E, acompanhando as estatísticas do blog, percebi que muitas pessoas que buscavam por “Martha Medeiros blog/ textos/ crônicas/ frases” eram direcionadas para ele. Então, pensei que estas pessoas, assim como eu, também gostariam de ter acesso às suas crônicas semanais.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Tem alguma crônica ou livro dela que você gosta mais?
[CADÊ O MEU ABRAÇO? | Luciane de Souza] “Dentro de um Abraço“, com toda certeza é uma das crônicas favoritas. Dos livros, não tenho um preferido. Já reli todos diversas vezes.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Além da Martha Medeiros, de quais outros autores você gosta?
[CADÊ O MEU ABRAÇO? | Luciane de Souza] Gosto de Rubem Alves, Mario Quintana, Cláudia Tajes, Fabrício Carpinejar, Gabito Nunes… Mas confesso que, ultimamente, tenho lido mais os “novos” escritores, principalmente aqueles que têm ou tinham blogs: Ana Jácomo, Marla de Queiroz, Ita Portugal, Guilherme Antunes, Daniel Bovolento, Clarissa Correa, Frederico Elboni, Cáh Morandi e muitos outros. Costumo dizer que a melhor coisa que o “Cadê o meu abraço?” me trouxe foi a possibilidade de conhecer, através das palavras, tanta gente que escreve lindamente.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Você tem outros blogs além de “Cadê o meu abraço”?
[CADÊ O MEU ABRAÇO? | Luciane de Souza] Blogs, não, mas tenho páginas no Facebook:

Gabitoterapia: com trechos do escritor gaúcho Gabito Nunes (que está um pouco mais difícil de atualizar porque faz mais de um ano que ele literalmente desapareceu. Não escreveu mais, sem dar nenhuma satisfação em sua página no Facebook, Twitter, nada);

Plágio Não: Página também inspirada por “Martha Medeiros”, que já foi citada como a “queridinha” dos textos apócrifos. Ela mesma já falou e escreveu várias vezes sobre isso, as falsas autorias. Tem o objetivo de “corrigir” tantas autorias incorretas que circulam por aí. Confesso que meio que cansei de cuidar desta página porque a grande maioria das pessoas simplesmente não está nem aí para autoria correta. Antes eu corrigia, brigava, até, mas não adianta, isso é uma praga que se espalha mais que erva daninha.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] “Cadê o meu abraço?” é seu hobby?
[CADÊ O MEU ABRAÇO? | Luciane de Souza] O “Cadê o meu abraço?” é a minha distração. Um hobby, talvez? Não sei. Acho uma delícia ficar horas procurando trechos, frases, músicas pra colocar nele. Acho que ele diz muito sobre mim, sobre tudo o que gosto, com o que me identifico. Sinto falta quando não atualizo. Costumo dizer que o meu alter ego adolescente é o blog. Quem lê o blog não imagina que tenho quase 40!

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Quais são seus outros hobbies, além de “Cadê o meu abraço”?
[CADÊ O MEU ABRAÇO? | Luciane de Souza] Sou casada, tenho dois filhos, um rapaz de 17 e uma moça de 7. Os meus hobbies, basicamente, são aqueles que incluem a família. Praia, cinema, teatro. No tempo que tenho só para mim, danço, vou à academia, ouço música, leio.

Tags: , , , , , , , ,

COMPARTILHE ESTE POST

COMPARTILHE

COMPARTILHE

Thais Polimeni

Thais Polimeni

Thais Polimeni é editora e uma das fundadoras do blog Cult Cultura e, ao lado de Leonardo Cassio e Daniel Ávila, é sócia-diretora da Carbono 60 - Economia Criativa. Publicitária, jornalista, paulistana, tiete e geminiana, Thais é viciada em teatro, cappuccino e wi-fi. Dizem que é descendente direta de Buda, mas na TPM, nem ela se aguenta. É colunista do Jornalirismo e tem seu alter-ego publicado aqui: facebook.com/thaisPOULAINmeni

RELACIONADOS

Os comentários estão desativados.