Fechar Menu [x]

#CultIndica E Se a Vingança de Hamlet Acontecesse Hoje?

CultIndica | Leonardo Cássio | Literatura 12/06/15 - 08h Leonardo Cassio

hamlet-banner

Apesar da frase mais famosa de Hamlet, obra-prima de William Shakespeare, ser “ser ou não ser, eis a questão” (aliás, umas das frases mais famosas da humanidade), há uma derivada do diálogo entre o protagonista e Polônio que é muito interessante:

Hamlet: Faça com que todos fiquem bem instalados […]
Polônio: Pode deixar senhor, serão tratados como merecem.
Hamlet: Que é isso? Trate-os melhor. Se tratarmos as pessoas como merecem, nenhuma escapa ao chicote.

Que é isso, rapaz! Shakespeare estava azedo quando escreveu essa frase! O pior é que ele tem muita razão.

Hamlet é uma obra central da dramaturgia do inglês. A tragédia narra a busca de Hamlet por vingança. Ele descobre, através do fantasma do pai, o Rei, que ele fora assassinado pelo próprio irmão, o tio de Hamlet, e que além de ter roubado o trono, ainda estava casado com a Rainha. Sacanagem pura.

Hamlet não aceita o golpe sujo do tio e vai em busca de vingança para acalentar o espírito de seu pai. No caminho, seu ódio e sua melancolia transcendem apenas a figura do Rei e atingem o reino, a Dinamarca e toda a humanidade. A tragédia possui muitas reflexões universais, que, séculos depois de escritas, ainda são atuais. Isso é grandiosidade.

Aí fica uma pergunta: com tanta pasmaceira atualmente, o que aconteceria se a vingança by Hamlet acontecesse hoje?
Imagina só se, nos corredores de Brasília, aparecessem fantasmas clamando por justiça, alegando que alguém havia dado um golpe por poder? Ia faltar espaço para tanto fantasma. E imagina se houvesse uma vingança para cada ato vil no epicentro do poder? Haveria exércitos de Hamlets.

A coisa está muito bagunçada. É discurso de ódio, escândalos políticos, trapaças, corrupção e todo tipo de galhofas, que há em todo brasileiro um pouco de Hamlet. Ninguém escapa ao chicote!

Hamlet, acometido pela verdade sobre a barbárie que o atingiu, é tomado por uma crise existencial, metafísica, que o leva a busca por uma solução drástica para o fim de seu sofrimento. Ele busca a vingança por virtude e por paz interior.

Será que, se Hamlet fosse realizar uma vingança hoje, seria por virtude ou apenas por mais poder? As pessoas querem que haja mudança a partir de um ato desesperado ou querem apenas atingir o outro, sem se importar com reais mudanças?

Hamlet, por ShakespeareA dialética de Hamlet reside no fato de que o protagonista da tragédia busca uma espécie de redenção via um ato desesperado de vingança. E hoje, seria igual? A impressão geral é que as “vinganças” atualmente são movidas apenas por ego, vaidade e busca desenfreada pelo poder. Não tem nem um pouquinho de virtude. Vai ver a virtude foi para Cuba!

Não dá para saber como seria, mas uma coisa é certa: “Há mais coisas no céu e na terra do que sonha a tua filosofia“.

PS: Ler Shakespeare é muito bom, mas é melhor ainda com tradução de Millôr Fernandes. Confira essa versão aqui no site da L&PM.

Tags: , , , , ,

COMPARTILHE ESTE POST

COMPARTILHE

COMPARTILHE

Leonardo Cassio

Leonardo Cassio

Sócio-diretor da Carbono 60 - Economia Criativa, Leonardo Cassio é publicitário, jornalista e amante da sétima arte. Lê de mangá a física quântica e tem uma tatuagem do Pearl Jam.

RELACIONADOS

Os comentários estão desativados.