Fechar Menu [x]
Novos Posts

#LugarCult: Banca Tatuí tem Livro, Balanço e Show no Teto!

Literatura | LUGARCULT | Multicultural | Thais Polimeni 06/05/15 - 08h Thais Polimeni

Banca-Tatui-banner

Quando acordei em um domingo de dezembro de 2014, minha mãe veio toda contente contar o que havia acontecido no dia anterior: “A maior festa na banca ali da esquina! Teve gente cantando em cima da banca! Um pessoal animado, viu?“.

Moramos na rua Barão de Tatuí há mais de 20 anos e acompanhamos muitas transformações da rua. De uns tempos pra cá, tenho percebido uma mudança que muito me agrada: a instalação de restaurantes superbacanas e espaços culturais. Pensei em fazer uma série de posts “Se essa rua fosse minha”, com dicas culturais da rua Barão de Tatuí e das ruas dos nossos leitores. Esse ano, o Itaú Cultural lançou um evento chamado “Se essa rua fosse nossa”, achei a ideia deles muito melhor que a minha e decidi mudar o rumo dos posts.

Assim, surgiu a série #LugarCult, que apresentará lugares que integram arte, cultura e economia criativa, independente da rua, cidade ou país que estiver. Lugar é mais que um espaço. Lugar é um espaço ocupado. #LugarCult é um espaço ocupado para inspirar e transformar através da cultura!

Pra inaugurar a série, fizemos uma entrevista com a Cecilia Arbolave, sócia do #LugarCult Banca Tatuí e da editora Lote 42.

Inaugurada em 6 de dezembro de 2014 (dia que deixou minha mãe toda contente), a Banca Tatuí tem um conceito bastante diferenciado, que une literatura (são vendidos livros de editoras independentes), música (no lançamento há shows em cima da banca (!) ou na calçada), arquitetura (a banca foi toda reformada e há um balanço fofo na frente), sustentabilidade (há um jardim no teto, quando não tem show) e artes visuais (a decoração foi feita por um artista plástico!).

Na entrevista, dá pra perceber a dedicação do pessoal da Banca Tatuí em surpreender seus clientes e frequentadores. Tudo é feito com muita criatividade e empenho. E, de quebra, deixa a rua mais alegre!

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Como surgiu a ideia de fazer uma banca de livros e por que vocês escolheram a rua Barão de Tatuí para a instalação?
Lançamento do livro Éden, de Pablo Holmberg, que aconteceu dia 28 de março de 2015 na banca Tatui, pertencente a Cecilia Arbolave e João Varella da Editora Lote 42.[BANCA TATUÍ | CECILIA ARBOLAVE] Na Lote 42, já tínhamos vontade de ter um ponto de venda físico para vender nossos livros. Não estávamos numa busca intensa, mas era algo que queríamos fazer em algum momento, então quando surgia alguma oportunidade, ficávamos de olho.

Um dia, João Varella viu que a banca da Barão de Tatuí – que é a rua na qual moramos, por sinal – estava com uma plaquinha de “vende-se”. Não pensou duas vezes e falou com o antigo proprietário, fez uma proposta e em poucas semanas fechou o negócio.

Ter uma banca de jornal é um sonho antigo do João. Neste post ele conta alguns detalhes disso e, na hora que ele viu essa banca, enxergou uma grande oportunidade: a de ser um ponto de venda não só de livros da Lote 42, mas também de outras editoras. Um espaço de descobertas culturais, como eram as bancas antigamente.

Hoje existe um interesse muito grande do público que procura publicações independentes e gosta de propostas mais ousadas. Isso fica muito visível nas feiras como a Feira Plana, Pão de Forma, Tijuana, Parada Gráfica, Miolo(s), entre outras. Agora, entre uma feira e outra, as pessoas podem encontrar grande parte da produção independente brasileira na Banca Tatuí.

Contamos com ajuda de grandes amigos para transformar o espaço em um lugar gostoso em que as pessoas queiram ficar. O escritório Figueroa.arq fez o projeto arquitetônico e a Casa Rex fez a identidade visual.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Vocês vendem todo tipo de livro na Banca Tatuí? Como é feita a curadoria para a venda?
[BANCA TATUÍ | CECILIA ARBOLAVE] Vendemos livros de produção independente, não vendemos publicações de grandes editoras. Em relação aos gêneros, temos romances, poesia, HQs, contos, não ficção, fotografia, entre outros. O que chama a atenção é o cuidado com o qual cada livro foi feito: a escolha do papel, o acabamento para a capa, o projeto gráfico… Também temos arte gráfica, como cartazes e postais.

Em relação à curadoria, as editoras ou os artistas nos mandam os livros para a gente avaliar se tem relação com a proposta da banca. Em alguns casos, nós já conhecíamos o trabalho deles de feira e gostávamos. De toda forma, como temos uma limitação de espaço na banca (são apenas 6 m²!), essa seleção é feita aos poucos.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Se algum autor tiver o interesse de ter seu livro vendido da Banca Tatuí, qual procedimento ele deve fazer?
[BANCA TATUÍ | CECILIA ARBOLAVE] Pode entrar em contato pelo e-mail contato@lote42.com.br

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Vocês estão analisando originais para publicar pela Lote 42?
[BANCA TATUÍ | CECILIA ARBOLAVE] Neste momento, não estamos conseguindo avaliar novos originais. Nossa equipe é muito pequena e estamos dedicados aos livros que estão em andamento. Fazemos uma imersão enorme em cada publicação, então os livros acabam exigindo muito tempo da gente. Portanto, infelizmente, não conseguimos olhar novos trabalhos.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Os eventos de lançamento de livro na Banca Tatuí são vocês que organizam?
[BANCA TATUÍ | CECILIA ARBOLAVE] Os eventos da Lote 42 que fazemos na Banca Tatuí somos nós que organizamos, sim. Cuidamos de todos os detalhes e da divulgação. E também contamos com a ajuda de amigos e vizinhos do bairro, como a Talitha Barros, da Conceição Discos, que sempre nos dá uma força e recomenda a banca para seus clientes; e a lighting designer Pâmola Cidrack, que nos ajudou a melhorar a iluminação do espaço externo da banca. São várias as pessoas que nos ajudam!

Estamos começando a fazer também eventos de outras editoras na banca (como a tarde de autógrafos do Murilo Martins ou o lançamento do Guia Fantástico de São Paulo) e nesses casos fazemos a organização e a divulgação em conjunto.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Como surgiu a ideia de colocar as bandas para tocar em cima da banca?
Banca-Tatui-George-Leoni (2)[BANCA TATUÍ | CECILIA ARBOLAVE] A ideia do escritório de arquitetura Figueroa.arq é colocar um jardim no teto. Para isso, tivemos que reforçar a estrutura da banca para que aguentasse o peso da terra e dos vasos. Quando o engenheiro terminou a reforma, nos falou que o teto ficou tão firme que agora dava para colocar uma tonelada lá! Foi aí que pensamos que seria ótimo colocar uma banda para tocar. Já passaram pelo teto o duo Bela & Mica além da Tika e o Pipo Pegoraro. Tivemos um show de jazz da banda Música de Selvagem no lançamento do Guia Fantástico de São Paulo, mas como eram muitos músicos, eles tocaram na calçada e foi ótimo, também! Ficou um clima muito gostoso.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Agora vocês fizeram uma espécie de telhado verde (me corrija se eu estiver errada) na banca. As bandas não vão mais tocar em cima dela?
[BANCA TATUÍ | CECILIA ARBOLAVE] Para o lançamento do Guia Fantástico de São Paulo, colocamos algumas samambaias e folhas de palmeiras no teto. Ainda vamos montar o jardim inteiro, com orientação de uma paisagista para a escolha das plantas certas. Essa era a ideia inicial dos arquitetos Mario Figueroa e Letícia Tamisari, e que nós gostamos muito! Se possível, queremos colocar plantas em vasos que dê para tirar durante os shows, mas ainda não sabemos como vai ser. A banca está em constante transformação.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Nos eventos de lançamento, o público da Banca é bem jovem e descolado. Durante a semana o perfil do público é o mesmo ou modifica um pouco?
[BANCA TATUÍ | CECILIA ARBOLAVE] Durante a semana tem um público bem variado. Chegam pessoas que vêm especialmente a conhecer a banca, outros que são do bairro e gostam de nos visitar e ainda há os que descobrem por acaso.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Com a Banca Tatuí, vocês também almejam contribuir para uma melhor ocupação dos espaços públicos em São Paulo? Vocês conhecem algum outro tipo de ação, realizada em São Paulo, que também está contribuindo para torná-la uma cidade mais criativa?
Banca-Tatui-Angela-Leon[BANCA TATUÍ | CECILIA ARBOLAVE] Acreditamos que a Banca Tatuí está trazendo um toque legal ao bairro. É bom ver como as pessoas gostam do espaço, entram e ficam sentadas lendo as publicações ou conversando. A vizinhança, mesmo sem conhecer antes esse universo de publicações independentes, tem gostado muito desse ar novo que trouxemos para a banca.

Sobre outras iniciativas, gostamos muito do Estúdio Lâmina, que é uma espaço cultural eclético que promove eventos que combinam exposições e música. Fica num prédio antigo ao lado do Vale do Anhangabaú.

Tem a Tenda de Livros: a Fernanda Grigolin é uma guerreira que vai todo domingo de manhã na feira de artesanato de Ipiranga e vende publicações independentes. Também promove troca e empréstimo de livros, aproximando a leitura para mais pessoas.

Tem ainda o trabalho maravilhoso do Coletivo Basurama: fazem intervenções na cidade com peças que iriam para o lixo. Por sinal, o Miguel Rodrigues, do Basurama, foi quem colocou o balanço na banca no lançamento do Guia Fantástico de São Paulo.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Há algum site onde é possível ver o catálogo de livros vendidos na Banca Tatuí?
[BANCA TATUÍ | CECILIA ARBOLAVE] Estamos desenvolvendo a loja virtual da Banca Tatuí. Esperamos que entre ao ar ainda no primeiro semestre do ano.

—-

Veja mais reportagens sobre a Banca Tatuí em TV Folha e Trip TV.

Banca Tatuí
Rua Barão de Tatuí, 275 – Santa Cecília
(esquina com a Rua Imaculada Conceição)

Créditos das fotos
Banner: George Leoni
Foto 1: Troublemakers Photography
Foto 2: George Leoni
Foto 3: George Leoni

——

Atualizado em 18 de maio de 2015, com links da TV Folha e Trip TV.

Tags: , , , , , , , ,

COMPARTILHE ESTE POST

COMPARTILHE

COMPARTILHE

Thais Polimeni

Thais Polimeni

Thais Polimeni é editora e uma das fundadoras do blog Cult Cultura e, ao lado de Leonardo Cassio e Daniel Ávila, é sócia-diretora da Carbono 60 - Economia Criativa. Publicitária, jornalista, paulistana, tiete e geminiana, Thais é viciada em teatro, cappuccino e wi-fi. Dizem que é descendente direta de Buda, mas na TPM, nem ela se aguenta. É colunista do Jornalirismo e tem seu alter-ego publicado aqui: facebook.com/thaisPOULAINmeni

RELACIONADOS

Os comentários estão desativados.