Fechar Menu [x]

A Musicalidade de 1973

Literatura | Música 21/08/14 - 03h Leonardo Cassio

1973banner

“1973 – O Ano que Reinventou a MPB” é uma coletânea de autoria de Célio Albuquerque, com textos de Marcelo Fróes, Nélio Rodrigues e Rafael Zapater, entre outros, que conta histórias de bastidores e curiosidades de principais discos daquele ano. O contexto político repressivo e a multiplicidade de vertentes musicais culminou em um boom de grandes lançamentos que sacolejou o Brasil e tornou 1973, ao menos no quesito musical, um ano mítico.

E quais discos são esses? “Krig-Ha, Bandolo!” de Raul Seixas, com a faixa “Metamorfose Ambulante”, é um deles. “Matita Perê”, de Tom Jobim, que carrega a música “Águas de Março”, outro. “Araçá Azul”, de Caetano Veloso e o provocativo “Índia”, de Gal Costa são mais dos excelentes trabalhos que fazem parte da coletânea.

Acontece que não para por aí. Há histórias sobre raridades como “Marconi Notaro no Sub reino dos Metozoários”, trabalho único do poeta Marconi Notaro, falecido em 2000; “Secos e Molhados” título homônimo que lançou o ousado grupo de Ney Matogrosso; “Matança de Porco”, da banda de progressivo Som Imaginário. “Pérola Negra”, de Luiz Melodia e “Drama 3° Ato”, de Maria Bethânia são outros grandes ícones.

Maracatu, bossa nova, rock, psicodelia, jazz. Tem de tudo neste trabalho riquíssimo cujas 432 páginas estão disponíveis pelo preço médio de R$59,00.

Abaixo, os links de alguns dos álbuns que estão na coletânea:

Krig-Ha, Bandolo!

Matita Perê

Araçá Azul

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

COMPARTILHE ESTE POST

COMPARTILHE

COMPARTILHE

Leonardo Cassio

Leonardo Cassio

Sócio-diretor da Carbono 60 - Economia Criativa, Leonardo Cassio é publicitário, jornalista e amante da sétima arte. Lê de mangá a física quântica e tem uma tatuagem do Pearl Jam.

RELACIONADOS