Fechar Menu [x]

Quando a Paixão se Transforma em Ação Social

APOSTACULT | Literatura | Thais Polimeni 06/11/15 - 11h Thais Polimeni

feira-do-livro-frigobar

Conheci a Priscila (na verdade, a Priscila conheceu a Cult primeiro) pelos ClownAticos, uma cia de clowns que produz e apresenta espetáculos teatrais com o intuito de arrecadar donativos para instituições e comunidades carentes.

A Pri é voluntária administrativa dos ClownAticos e, após ver a matéria que o Leo fez com o Alê, entrou em contato conosco para apresentar seu projeto “Frigobar para a Mente”. A ideia era divulgar a 3ª Feira do Livro, organizada pela Frigobar, mas a história da Priscila é tão legal que optamos por fazer uma entrevista para que todos conheçam as ações que ela faz e se inspirem a ir atrás de seus sonhos.

Frigobar-Para-A-Mente (7)Priscila Ambroziak sempre foi apaixonada por livros. Uma de suas maiores lembranças da infância era a ansiedade da chegada dos meses de férias, janeiro e julho, não por causa do descanso das aulas, mas pelo lançamento do “Almanaque de Férias da Turma da Mônica”, que ganhava de seu pai. Gente, até eu tive um revival instantâneo quando ela citou o Almanaque! Almanaque e Almanacão eram a alegria geral da nação. Quem lembra?

Dei conta da paixão por livros, mesmo, na 4ª série, através de “Cazuza”, “A Estória de Dois Peruzinhos” (presenteado pela minha avó) e “O Enigma do Saco Azul”, cujo enredo eu ainda me lembro tim-tim por tim-tim!“, comenta Priscila

Mas Priscila não parou só na leitura. Ainda criança, suas redações renderam até prêmios. Algumas foram publicadas no jornal “A Escalada”, da Escola Dr. Humberto Sanches, em São Lourenço, MG; outras foram escolhidas para Concursos de Trovadores e uma delas foi contemplada com o diploma de honra ao mérito do prêmio “Estudante do Ano”, da Academia de Letras e Ciências de São Lourenço.

A literatura foi importante para a conquista de muitas alegrias no meio acadêmico, mas o que mais emociona Priscila é o poder de formação do caráter das pessoas pelos. Foi com os olhos cheios de lágrimas que Priscila se lembrou da dedicatória que seu irmão fez na biografia da pós: “(…) não poderia deixar de agradecer por todas as discussões, pois proporcionaram crescimentos pessoais e profissionais: minha irmã Priscila. Alguém capaz de devorar livros e livros em questão de minutos. Alguém que defende a ciência da Administração, da qual foi minha inspiração para seguir a mesma formação” e na carta que ele enviou ao Leader Training: “… A certeza de escolher você para ser a madrinha da minha filha… É em você que eu acredito na continuação da educação da Yasmin.

Este é o único legado que posso e quero deixar a quem convive comigo: a importância da leitura, do aprendizado e da solidariedade“. É com essa frase da Priscila que começamos a entrevista sobre o projeto “Frigobar para a Mente“:

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Pri, Você sempre fez trabalho voluntário?
[FRIGOBAR PARA A MENTE | PRISCILA AMBROZIAK] Não, faz bem pouco tempo… Cinco anos, aproximadamente. Aliás, isso é uma coisa em que sempre pensei: há muitas coisas que fazemos – inclusive no dia-a-dia – que são atos de solidariedade e compaixão e não estão atrelados a um projeto ou um trabalho voluntário em si.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Qual foi seu primeiro trabalho voluntário?
[FRIGOBAR PARA A MENTE | PRISCILA AMBROZIAK] Meu primeiro trabalho voluntário que envolveu visitação foi há quatro anos, no COTIC – Centro Organizado de Tratamento Intensivo à Crianças, na Zona Norte de São Paulo, com amigos motociclistas que, há muitos anos, já se dedicavam a este trabalho. Participei das entregas das sacolinhas de final de ano (que contém roupa, brinquedo e calçados para as crianças).

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Como você entrou para o voluntariado?
[FRIGOBAR PARA A MENTE | PRISCILA AMBROZIAK] Já era uma vontade antiga e, inicialmente, procurei as grandes instituições e preenchi um formulário de interesse. Porém, a inclusão foi através de um reencontro de amigos do colegial, quando descobri que um deles realizava trabalho voluntário com a esposa. Assim, surgiu a oportunidade de fazer essa primeira visita. Na sequência, naturalmente fui conhecendo e sendo apresentada a pessoas que estavam ligadas a inúmeros projetos sociais: desde eventos pontuais a esporádicos, grupos religiosos ou de clown.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] De que forma sua paixão pelos livros despertou a vontade de criar a Frigobar para a Mente?
[FRIGOBAR PARA A MENTE | PRISCILA AMBROZIAK] Ahhh! Esta é uma história que até hoje eu me delicio em contar!!! (risos)

Desde pequena, sou completamente apaixonada por livros! E quem convive comigo sabe desta minha paixão. Melhor ainda é ter com quem conversar sobre as histórias e eu, que adoro ler, escrever e conversar – nunca ninguém notou (risos) -, decidi criar um grupo fechado no Facebook para trocarmos dicas de livros, feiras, bienais, exposições, lançamentos e tudo mais ligado ao mundo da leitura. Nessa época, nem pensava em criar um projeto social ou uma Fanpage. Era um delicioso ponto de encontro virtual com os amigos para refrescarmos as ideias!

Frigobar-Para-A-Mente (5)Louca por leitura, confesso que alguns livros eu não troco, não vendo e não empresto de jeito nenhum (principalmente se ganhei). Porém, há outros que eu sei que não farei uma releitura, embora sejam bons. Até que um dia, organizando o meu Frigobar para a Mente pessoal, separei estes livros e tive um insight! Na mesma hora, liguei para uma das minhas melhores amigas, a Andressa Meca:

Dre, quer comprar alguns dos meus livros?!
“Você está doente?!” (Como toda boa melhor amiga ariana e que nos conhece tão bem… risos).
Não! Quero vender por preços baixos para incentivar a leitura e entregar o dinheiro à D. Júlia, na Casa de Apoio Luz Divina (onde já éramos voluntárias).

A Andressa gostou tanto da ideia que, em vez de comprar os livros, decidiu entrar como parceira do projeto: “Estou separando vários aqui em casa para você!”.

Minha segunda ligação foi à Priscila Avelar, também voluntária e representante da Casa de Apoio Luz Divina, que abriga crianças em tratamento de câncer e outras doenças.

Assim, surgiu o projeto social “Refrescos para a alma”, porque não há nada mais refrescante do que uma boa leitura e solidariedade!

Em questão de dias, a novidade se espalhou no grupo fechado e outros amigos aderiram ao projeto social.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Você exerce alguma outra atividade, além da Frigobar para a Mente?
[FRIGOBAR PARA A MENTE | PRISCILA AMBROZIAK] Sim. Profissionalmente, atuo em gestão administrativa e sistemas ERP. No trabalho voluntário, divido as atividades da Frigobar para a Mente com a minha palhaça – a Fifi Fofolete – nas visitas em casas de apoio, casas transitórias e abrigos, e na Cia dos ClownAticos (voluntariado administrativo).

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Qual foi a primeira atividade realizada pela Frigobar para a Mente? Comente um pouco como foi a emoção do primeiro dia.
[FRIGOBAR PARA A MENTE | PRISCILA AMBROZIAK] Iniciamos a primeira listagem com aproximadamente 30 livros e, no primeiro dia de ação, foram vendidos 8 deles. Essas vendas ocorreram entre os próprios amigos. Foi divertidíssimo adquirir livros de alguns deles e descobrir gostos em comum. Admito que, às vezes, peço até para escrever uma dedicatória personalizada. É um carinho gratificante!

Um projeto social só faz sentido se conseguirmos transformá-lo em realidade, dando-nos a possibilidade de fazer a diferença nas vidas das pessoas. Confesso que, no início, transformar a paixão pelos livros em projeto social pareceu-me uma loucura, mas, hoje, após dois anos e mais de 600 livros, admito que foi uma das melhores coisas que pudesse ter feito na vida!

Promover o incentivo à leitura infanto-juvenil através do repasse da doação; e à leitura adulta através da possibilidade de adquirir livros a preços acessíveis, sabendo que o valor arrecadado está beneficiando quem precisa de ajuda é uma sensação inefável!

Frigobar-Para-A-Mente (2)[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Agora a Feira do Livro da Frigobar para a Mente já está em sua 3ª edição, o que demonstra o sucesso do projeto. Como você compara a organização da terceira feira com a primeira? Ficou mais fácil ou mais difícil?
[FRIGOBAR PARA A MENTE | PRISCILA AMBROZIAK] Ficou mais calorosa!!!

Naturalmente, vamos adquirindo experiência e ideias legais – e até mirabolantes – vão surgindo. Mas, sem sombra de dúvidas, o clima de união, respeito, solidariedade e compaixão torna fácil qualquer realização de um evento deste!

Já estamos pensando na 4ª Feira, em que a Instituição escolhida para receber as doações será alguma das indicadas pelos participantes da 3ª Feira, que acontecerá no próximo sábado, dia 14 de novembro.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Você enfrentou alguma dificuldade desde a concepção da ideia da Frigobar para a Mente até agora? Ou tudo “fluiu” bem? Conte um pouco da experiência durante esses dois anos.
[FRIGOBAR PARA A MENTE | PRISCILA AMBROZIAK] É impressionante! E isso me emociona… Às vezes as coisas vão acontecendo de um jeito tão certo, vão se encaixando tão perfeitamente como se simplesmente “caíssem no colo”. Nessas horas, olho para cima e pergunto a Deus: “Como assim?!” e eu mesma respondo: “Já sei! Não pergunta. Abaixa a cabeça e faz!”. É a certeza de que estou no caminho certo, com as pessoas certas, unidas pelo mesmo propósito e com os corações repletos de amor e compaixão. Muitas vezes, a solidariedade fala mais alto do que o propósito do incentivo à leitura e isso surpreende! Tudo isso é o meu combustível para continuar nesta trajetória.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Como você enxerga o futuro da Frigobar para a Mente?
[FRIGOBAR PARA A MENTE | PRISCILA AMBROZIAK] A Frigobar para a Mente só é o que é hoje pelos apaixonados por leitura e pela dedicação e amor de todos voluntários: na operação logística, na doação e compra dos livros, na parceria com outras associações, na divulgação e no apoio físico ou jurídico.

No futuro, vejo-a como referência ao incentivo à leitura, onde as pessoas continuam interagindo para falar de livros, lançamentos, feiras, bienais, exposições, dicas e, através do projeto social, continuem mantendo acesa a paixão pela literatura e solidariedade.

[CULT CULTURA | Thais Polimeni] Qual o seu maior sonho, hoje?
[FRIGOBAR PARA A MENTE | PRISCILA AMBROZIAK] Meu maior sonho?! Só um?! Podem ser dois?! Ahhhhh! Vamos negociar, vai! (risos)

Um sonho que irá se realizar em 2016 é a Leitura para Idosos!

Penso muito nos vovôs e vovós que não tiveram a oportunidade de serem alfabetizados, mas que gostam de histórias, ou até mesmo os jovenzinhos que, por questões de saúde, acabam tendo o impedimento da leitura e, ainda, aqueles que simplesmente buscam uma companhia para este momento!

Você já imaginou o quão enriquecedor e delicioso é praticar uma leitura a alguém que traz consigo uma experiência de vida ímpar, aliada à oportunidade de ler um livro que você, por hábito ou por escolha, jamais leria se não fosse por este vovô ou por esta vovó?

Os livros já estão nas nossas mãos (oriundos da doação ao projeto social). Agora é só esperar para serem escolhidos!

Quanto ao meu segundo sonho, é simples e é grande: um espaço físico permanente para realização de saraus, ponto de arrecadação e venda de livros em prol de instituições parceiras, pufs, poltronas e redes para leitura e, claro, com chocolate para acompanhar!

Venham! Vamos juntos fazer uma linda história para contar!!!

frigobar-para-a-mente-clownA 3ª Feira do Livro, organizada pela Frigobar para a Mente, acontecerá no sábado, 14 de novembro, das 11h às 17h, próximo à Estação Alto do Ipiranga do Metrô (linha verde). Não se esqueça de levar o nome da Instituição que você gostaria de indicar para receber as doações da 4ª Feira do Livro!

3ª Feira do Livro
Em prol da Casa de Apoio Luz Divina
14 de novembro de 2015, das 11h às 17h
Rua Vergueiro, 6.263
Livros seminovos e usados vendidos de 20% a 50% do preço de um novo

Tags: , , , , , , , ,

COMPARTILHE ESTE POST

COMPARTILHE

COMPARTILHE

Thais Polimeni

Thais Polimeni

Thais Polimeni é editora e uma das fundadoras do blog Cult Cultura e, ao lado de Leonardo Cassio e Daniel Ávila, é sócia-diretora da Carbono 60 - Economia Criativa. Publicitária, jornalista, paulistana, tiete e geminiana, Thais é viciada em teatro, cappuccino e wi-fi. Dizem que é descendente direta de Buda, mas na TPM, nem ela se aguenta. É colunista do Jornalirismo e tem seu alter-ego publicado aqui: facebook.com/thaisPOULAINmeni

RELACIONADOS

Os comentários estão desativados.