Fechar Menu [x]

A cura animal

Juliana Praia | Multicultural 23/10/13 - 04h Juliana Praia

Capturar

Depois de uma semana conturbada por causa dos resgates dos Beagles do Instituto Royal, vale levantar uma questão, que é óbvio que animais não servem para fazer testes, pois não são humanos e são seres vivos, merecem respeito, e, além disso, eles são muito eficazes em ajudar a “curar” dores (sejam elas físicas ou de coração).

Não é de hoje que isso é mais do que comprovado. Francis Miller, fotógrafo da revista americana LIFE, visitou em 1956, o University Hospital em Ann Arbor, Michigan (EUA), para documentar seu programa de terapia animal, que já funcionava há mais de 30 anos. Na época, o hospital estava tratando mais de três mil crianças por ano e os bichinhos eram usados para ajudar as crianças com ansiedade, e até mesmo dor.

Não podemos ser tão irracionais a regredir em pontos tão óbvios de achar que animais possam ser maltratados. Devemos pensar que podemos, sim, utilizá-los para ajudar na eficiência humana, mas de um jeito que ambas as partes saiam ganhando. Porque só assim podemos dizer que um trabalho foi bem sucedido, onde não haja perdas e sim, somente ganho.

Imagem1Um dos pioneiros e “mente aberta” dos dias de hoje é o tão querido hospital Infantil Sabará, que lançou um projeto inédito em São Paulo, o Cãoterapia em parceria com uma ONG, onde os bichinhos têm a devida autorização e higienização para visitar seus pequenos pacientes, que juntos trocam afeto e fazem se esquecer um pouco do ambiente hospitalar. O que levar dessa vida senão aqueles momentos que nos fizeram sorrir, não é mesmo?

São nove cães que participam das visitas semanais, na forma de revezamento. Essa parceria sim, dá vontade de anunciar em jornais, mídia, no exterior, pois só gera benefícios físicos, mentais, sociais e principalmente emocionais. A troca do amor incondicional, a atenção dedicada, a espontaneidade das emoções… É uma troca onde todos os seres “usados no experimento” saem satisfeitos com o resultado.

Em meio a esse holocausto de insanidade com animais, temos a obrigação de dizer o quanto eles também são importante para nós, seja ajudando em curas hospitalares, em uma companhia amiga, ou em apenas uma demonstração de carinho quando nossos corações são dilacerados.

Tags: , , , , , ,

COMPARTILHE ESTE POST

COMPARTILHE

COMPARTILHE

Juliana Praia

Juliana Praia

Juliana Praia, ruiva, é marketeira por profissão, jornalista por formação e escritora por acaso. É interessada em toda forma de expressão, seja ela cultural, facial ou individual. Adora poesia, por que acredita que as palavras também precisam de enfeite. Não é PhD em nada, mas é especialista em ter consigo uma eterna curiosidade sobre o mundo. Faz voluntariado na Ong Presente de Alegria como palhaço doutora por acreditar no ser humano. Adora escrever sobre tudo que lhe passa pela mente e pelos olhos. Seu ritmo de vida é a música, principalmente a Brasileira, acha a melhor forma de expressão.

RELACIONADOS