Fechar Menu [x]

As (verdadeiras) músicas da Copa do Mundo 2018: Grupo H

*Destaque-Home | Multicultural | Música 29/06/18 - 01h Cult Cultura

53-musicas-da-copa-do-mundo-babymetal

Chegamos ao final da série! O último grupo da Copa do Mundo 2018 é o H, representado por Japão, Colômbia, Senegal e Polônia:

Japão
Uma banda nada convencional tomou de assalto o cenário da música pesada. A Babymetal mistura o J-Pop e o metal e vem recebendo reconhecimento de figuras importantes do metal como Rob Halford do Judas Priest e Corey Taylor do Slipknot. Presentes nos principais festivais de música pesada do mundo, é liderada pelas garotas Su-Metal, Yuimetal e Moametal. Em 2014, o plano de expansão mundial tomou mais força com o convite da cantora Lady Gaga para as garotas abrirem os shows da Artrave: Artpop Ball. Com apenas dois álbuns lançados, as meninas não mostram nenhum plano de diminuir o ritmo e estão em turnê mundial durante todo o ano de 2018:

Colômbia
Alerta Kamarada é o projeto atualmente comandado pelos músicos colombianos Javier Fonseca e Pablo Araoz. Desde 1996, o duo é considerado o ato mais importante e influente do som jamaicano em seu país. Passeando entre o reggae e o ska, o grupo perdeu um dos seus membros fundadores em 2014, o músico Daladier Arismendi, que foi encontrado morto em sua residência. Com apresentações por países europeus, como Itália e Suécia, e parcerias com bandas e músicos respeitados dentro do gênero, como Damian Marley e UB40, o grupo conta com um catálogo rico, construído nesses mais de 20 anos de banda:

Senegal
Importante grupo senegalês, o Les Frères Guissé tem uma mensagem forte por trás de suas músicas. Com 3 álbuns, os caras usam suas letras para passar algo a mais do que a música, seja denúncia contra trabalho infantil ou críticas à opressão que as mulheres sofrem no cotidiano de seu país:

Polônia
Uma das bandas mais importantes a sair de seu país, o Behemoth já caminha para seus 30 anos em atividade. Formada em 1991 pelo guitarrista e vocalista Nergal, a banda possui inúmeras polêmicas e atritos com a lei local e internacional, tendo sido banida da Rússia por questões de visto, o que na época pareceu mais uma forma de censura. Em 2017, Adam “Nergal” Daski anunciou que tinha outro projeto encaminhado, buscando uma sonoridade diferente da que faz com o Behemoth. Me And That Man lançou o seu primeiro álbum “Songs of Love and Death” no mesmo ano e o gênero mais explorado por Nergal nesse projeto é o folk:

Euclides

Por Clids Ursulino. 30 anos. Música, cinema, futebol e política. E o que mais aparecer entre um café e outro.

Tags: , , , , , , , , ,