Fechar Menu [x]
Se Mistura na Foto

Experimentando o café mais caro do mundo em Bali

Multicultural 25/04/14 - 03h Cult Cultura

BaliPulina1

Por Thaís Freitas, do blog viajadora.com

Quando se fala na ilha de Bali, na Indonésia, quase todo mundo pensa logo em surfe, comidas exóticas e meditação, principalmente depois de o filme “Comer, Rezar e Amar” ter tornado o vilarejo balinês de Ubud mundialmente famoso. Mas existe um aspecto da ilha ainda pouco conhecido que não pode ficar de fora do roteiro de viagem dos fãs de café: a visita a uma plantação de Kopi Luwak, o café mais raro e artesanal do mundo.

O Kopi Luwak é produzido a partir dos grãos extraídos das fezes dos civetas (foto), animais asiáticos parecidos com gambás. Eles escolhem os melhores grãos na hora de comer e só digerem a polpa, com a semente passando intacta pelo sistema digestivo, mas sofrendo a ação das bactérias e enzimas do estômago. O resultado são grãos que rendem um café muito mais saboroso e suave. E raro também: como são produzidos menos de 250 por ano, um quilo do grão chega a custar até mil dólares em lugares como Japão e Europa. Mas em Bali, um dos principais polos de produção do mundo, experimentar essa iguaria custa menos de 10 dólares e, definitivamente, é um dos pontos altos da viagem, não só pelo café em si, mas, principalmente, pela experiência sinestésica de aromas, sabores, sons e paisagens inesquecíveis.

Indonesians Farm Civet Cats To Produce World's Most Valuable CoffeeSão vários os sítios próximos a Ubud que oferecem opções de visita às áreas de produção. O esquema é parecido em todos, com entrada gratuita e guias orientando os visitantes em todas as etapas, desde a observação dos civetas em seus criadouros até o processo de moenda. Passando também, claro, pela limpeza dos grãos recém-coletados, etapa que mais desperta a curiosidade dos visitantes, já que a ideia de comer algo retirado de fezes não é lá muito atraente. Estranheza essa que vai embora assim que se vê como tudo é feito com o maior cuidado… Ou quando finalmente se sente o delicioso aroma do café Luwak sendo preparado para a degustação.

É para experimentar o café no fim da visita, aliás, que se paga entre cinco e 10 dólares, dependendo do sítio produtor. Quantia que vale cada centavo, já que, além do Kopi Luwaki, que é preparado com o pó direto na xícara, como café solúvel, são servidos vários outros tipos de café produzidos lá, como os com gengibre, ginseng e baunilha. Mas ainda melhor do que o cheiro do Luwaki feito na hora e do que o gosto aveludado dessa bebida preciosa, é a sensação de calma que se tem ao sentar em uma das mesas rústicas às margens de um rio e diante de uma plantação de arroz tão característica das paisagens do sudeste asiático. É imergir no ritmo de vida pacífico dos balineses, sentindo o cheiro da terra, ouvindo o barulho do rio e tirando a tarde para experimentar uma realidade de tempo e lugar completamente diferente da que estamos habituados por aqui. Afinal, o Kopi Luwaki você compra em qualquer lugar, ainda que pague bem mais caro, mas essa experiência sensorial você vai ter de ir até Bali para viver. E não se arrependerá nem um pouco.

Como chegar
Os sítios produtores ficam próximos ao vilarejo de Ubud, na ilha de Bali. Nós visitamos o Bali Pulina, na região de Tegallalang, a 7km de distância de Ubud, e foi ótimo.

Bali Pulina Agro-Tourism
Br. Pujung Kelod
Tegallalang-Gianyar
Telefone: (0361) 901728
Email: bali_pulina@yahoo.com
– Para quem quiser levar uma lembrança para casa, os sítios têm lojas onde, ao final do passeio, é possível comprar Kopi Luwak e outros produtos feitos lá.

Thaís Freitas
Viajadora.com
FanPage: facebook.com/viajadora
Instagram: @viajadorablog

Imagens do Google

Tags: , , , , , , , ,