Fechar Menu [x]

A Descentralização Dos Grandes Eventos Culturais

Multicultural | Thais Polimeni 05/07/17 - 10h Thais Polimeni

135-festival-arte-serrinha-braganca-paulista

A descentralização de eventos culturais é um tema que sempre vem à tona quando o assunto é gestão cultural. No Brasil, os grandes centros urbanos concentram mais da metade da verba da Lei Rouanet, por exemplo, obrigando a população de cidades menores a se deslocar para assistir a uma peça de teatro, um show, visitar uma exposição ou participar de workshops. Encontrar eventos culturais bem planejados e executados fora do eixo Rio-São Paulo e das capitais dos estados é uma missão quase impossível, mas felizmente há produtores que contribuem para essa difusão cultural.

Entre os dias 3 e 30 de julho de 2017, acontece o Festival Arte Serrinha na cidade de Bragança Paulista, a 90 km de São Paulo. Em sua 16ª edição, o evento oferece uma intensa programação de oficinas, shows, cinema e teatro em diferentes espaços da cidade. Na Fazenda Serrinha, antiga propriedade cafeeira, existe o Parque de Instalações, com obras permanentes de artistas contemporâneos como José Roberto Aguilar, Luiz Hermano e Gustavo Godoy. Para esta edição do festival, o público pode conferir obras de Eduardo Srur, Laura Gorski e a instalação do francês Jean Paul Ganem, desenvolvida em land art, que deve ser observada de cima, do mirante da Serrinha.

Bárbara Eugenia, Tatá Aeroplano e Benjamim Taubkin são alguns dos músicos presentes na programação. O pianista José Miguel Wisnik é retratado no documentário “Música pelos Poros”, que será lançado no dia 21 de julho na Fazenda Serrinha.

Um destaque imperdível é o espetáculo “Tangos Brasileiros” (foto do banner), da Danças Polifônicas, que será apresentado no Teatro Rural. A obra transdisciplinar resgata o tango brasileiro de Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth e Henrique Alves Mesquita e propõe um diálogo entre dança, música e artes visuais.

No Cine Rancho, filmes brasileiros recentes de sucesso, como “Elis” (leia aqui), de Hugo Prata, “Pequeno Segredo” (saiba mais aqui), de David Schurmann, e “Pitanga”, de Beto Brant e Camila Pitanga, serão exibidos gratuitamente durante o festival, às sextas e sábados, sempre às 21h.

E como Gastronomia também é cultura, o restaurante Ca de Mez Amig recebe o workshop “Criação de um banquete”, com vagas limitadas, em que a nutricionista e ativista do mundo vegetal orgânico Neka Menna Barreto e o artista plástico Fernando Limberger mostrarão ao público como preparar e servir um banquete que una comida e arte. Também estão programadas as oficinas “Fotografia” (Luiz Braga), “Produção de bonecos e máscaras” (Hilton Merkadante), “Moda e re-existência” (Ronaldo Fraga), “Meu corpo, minha terra – dança e yoga ao ar livre” (Lú Brites), “Cerâmica marajoara” (Ronaldo Guedes), “Limpeza de pele – literatura, fotografia, existência” (Diógenes Moura) e a residência em artes visuais coordenada por J. Spaniol, Helena Martins Costa e Fabio Delduque. As inscrições podem ser feitas no site do Festival Arte Serrinha neste link. Os preços variam de R$150,00 a R$450,00 (para oficina com acomodação na Fazenda Serrinha).

Acesse o site do Festival Arte Serrinha para conferir toda a programação do evento e não deixe de prestigiar essa iniciativa, principalmente se você morar em Bragança Paulista. Aproveitem!

16º FESTIVAL ARTE SERRINHA: “DE QUEM É ESSA TERRA?”
De 3 a 30 de julho de 2017, em Bragança Paulista (SP)
Fazenda Serrinha, Galpão Busca Vida, Teatro Rural, Casarão Dois Irmãos, Água Comprida, Ateliê Siriema e João de Barro, Cine Rancho e restaurante Ca de Mez Amig

Tags: , , , ,