Fechar Menu [x]

Manifesto “Eu Como Cultura” Busca Legitimar a Gastronomia Como Patrimônio Cultural

Leonardo Cássio | Multicultural | Patrimônio 17/03/15 - 03h Leonardo Cassio

Eu Como Cultura

Alguns países têm como característica indissociável de sua cultura alimentos ou pratos específicos que os tornam reconhecidos mundialmente. Vinhos franceses, a massa italiana, o peixe japonês são patrimônios para os respectivos. Aqui no Brasil, o manifesto “Eu Como Cultura”, encabeçado pelo chef cult Alex Atala, pretende consolidar a gastronomia do país como patrimônio cultural.

O objetivo principal é a incorporação da gastronomia, através de um abaixo-assinado, pela Lei Rouanet. Desta forma, pesquisas, publicações, acervos, eventos e atividades de preservação poderão contar com o incentivo fiscal via imposto de renda de pessoas físicas e jurídicas.

O IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), órgão do Ministério da Cultura (MinC), tem em sua lista de bens tombados o Ofício das Baianas do Acarajé, o Modo Artesanal de Fazer Queijo de Minas e o Ofício das Paneleiras de Goiabeiras, e a Secretaria da Economia Criativa, também do MinC, propôs a criação do Centro de Referência da Gastronomia e suas Regionalidades. Portanto, a preocupação em afirmar a gastronomia como patrimônio não é nova.

A novidade do manifesto é a amplitude que ele busca. Os bens tombados preocupam-se mais com o ofício em si do que com o alimento, apesar deste estar intrinsecamente ligado ao modo de fazer, e o Centro de Referência seria controlado pelo Governo, ao contrário do que propõe o Eu Como Cultura, que busca o mecanismo do incentivo.

Confira o manifesto e veja a seguir a fala do chef Alex Atala sobre:

 

Tags: , , , , , , , , , , ,

COMPARTILHE ESTE POST

COMPARTILHE

COMPARTILHE

Leonardo Cassio

Leonardo Cassio

Sócio-diretor da Carbono 60 - Economia Criativa, Leonardo Cassio é publicitário, jornalista e amante da sétima arte. Lê de mangá a física quântica e tem uma tatuagem do Pearl Jam.

RELACIONADOS

Os comentários estão desativados.