Fechar Menu [x]

Elis, A Musical

Artes e Espetáculos | Música 11/07/14 - 10h Thais Polimeni

elisamusicalbanner

Elis Regina é um mito. E, como todo mito, tem milhões de histórias a seu respeito. Muitas verdadeiras, outras exageradas e a maioria com aquele ponto a mais adicionado por cada um que contou o conto.

Já tinha ouvido Elis em casa, quando criança, de uma coletânea que meu pai comprou. Não virei fã à primeira vista, como aconteceu quando ouvi Toquinho e Vinícius ou até mesmo quando ouvi Maria Rita, filha da Elis. Conheci o trabalho da Maria Rita em 2003, quando um amigo do cursinho colocou “A festa” pra eu ouvir. Me apaixonei. Entrei na faculdade no ano seguinte e fui ao primeiro show dela, no Sesc Interlagos. O primeiro de uma leva de histórias pra contar. Foi a partir da Maria Rita que me aprofundei na história e na carreira de Elis Regina. Fiz o caminho inverso, mas cheguei ao mesmo ponto de admiração dessa cantora que foi considerada a melhor intérprete do Brasil da sua geração.

Nasci três anos depois de Elis morrer, mas a sensação que eu tive ao assistir ao espetáculo “Elis, A Musical”, em cartaz no Teatro Alfa, era a de estar revivendo um momento. Na sessão que eu fui, quem interpretou Elis foi a atriz Lilian Menezes, que substitui Laila Garin, vencedora do prêmio Shell de melhor atriz. Lilian simplesmente incorpora Elis no palco, ao lado de outros atores incríveis, com destaque especial para Leo Diniz, que interpretou Tom Jobim; Caike Luna, que certamente não nasceu filho do Miele por um acidente de percurso; e Claudio Lins, que vive Cesar Camargo Mariano. Os demais atores são igualmente sensacionais, mas os que acabei de citar interpretaram os personagens mais próximos da minha realidade e, portanto, a identificação foi imediata.

elis-jairSão 2 horas e 10 minutos de espetáculo, dividido em 2 atos, com 15 minutos de intervalo. Parece muito, mas a vida de Elis é tão rica, que eu poderia ficar lá a tarde inteira. De uma forma deslumbrante e hipnotizante, o musical nos mostra todas as fases da vida da cantora, desde a primeira vez que foi cantar na rádio de Porto Alegre, cidade onde nasceu, até sua última entrevista, passando pelos programas de TV, como “O Fino da Bossa”, que apresentava ao lado do grande Jair Rodrigues (foto ao lado); os Festivais; os espetáculos, como “Falso Brilhante”; sua ligação com a política, entre outras.

Senti que faltaram alguns momentos importantes, como a amizade entre Elis Regina e Rita Lee: não é por acaso que Elis batizou sua filha de Maria Rita. Por outro lado, as cenas sobre a relação entre Elis Regina e Ronaldo Bôscoli poderiam ter sido suavizadas. Não sei se era essa a intenção, mas a impressão que deu era que eles só brigavam e que Elis era extremamente humilhada por este que foi seu primeiro marido. Quando cheguei em casa e vi uma entrevista de Elis no Youtube (abaixo), compartilhada por uma amiga minha, me senti uma profunda ignorante ao lembrar que Ronaldo Bôscoli não parava de chamá-la de burra. A sabedoria de Elis não era nada superficial! Nota mental: O João Marcello Bôscoli, filho de ambos, parece ser tão calmo, que eu tenho minhas dúvidas se a relação do casal era tão faiscante como foi retratada…

Bem, elucubrações sobre a vida pessoal de Elis Regina à parte (cheguei a perguntar para meus pais e amigas que poderiam me contar detalhes do que era noticiado a respeito de Elis Regina na época, mas tive a impressão de que eu sabia mais sobre a cantora do que eles), “Elis, A Musical”, vai além de cumprir o seu papel de contar a história de Élis (como era chamada pelos íntimos). O espetáculo leva todo o público à nostalgia, tanto aqueles que tiveram a oportunidade de ver seus shows ao vivo, quanto aqueles que a conheceram depois de 1982, ano em que Elis Regina se tornou imortal.

“Elis, A Musical”, fica em cartaz só até o dia 27 de julho, no Teatro Alfa, em São Paulo. Pra comprar os ingressos, é só clicar aqui.

Ouça e veja abaixo duas entrevistas concedidas por Elis Regina. O depoimento do Soundcloud é de emocionar! Destaquei algumas frases que nos fazem refletir sobre como continuamos agindo hoje em dia:

A gente não fazendo mal a ninguém, a gente já tá fazendo um grande negócio. (…) Hoje em dia, as pessoas se criticam, as pessoas não perdem tempo ouvindo as outras, as pessoas pré-julgam. (…) Aí, pra simplificar, nêgo rotula. (…) “Fulano chorou, fulano é fresco”. Não, cara, o cara é um emotivo. (…) Precisa ver uma pessoa pra gostar dela, cara? (…) E se eu for fresca? Não tenho o direito de ser fresca? (…) Não se permite mais, ao ser humano, o direito de uma lágrima. (…) A gente a-cei-tou a truculência. (…) Atenção, moçada! Não é isso! Não foi pra isso que a gente veio ao mundo. (…) A gente tem que perder tempo, sim. A gente tem que se envolver. A gente veio para o mundo pra contribuir para o bem, pomba! Tem que batalhar pelo bem!
https://soundcloud.com/nescaw/elis-regina-depoimento

Última entrevista de Elis Regina, no Jogo da Verdade

Elis, A Musical
Até 27 de julho de 2014
Quinta-feira, 21h; Sexta-feira, 21h30; Sábado, 16h e 20h30; Domingo, 15h e 19h
SESSÕES EXTRAS: dias 16 e 23 de julho, quartas-feiras, 21h
Excepcionalmente neste sábado (12/07), 16h e domingo (13/07), não haverá espetáculo devido aos jogos finais da Copa.

As atrizes Laila Garin e Lílian Menezes se revezam no papel de Elis Regina. Eventuais substituições no elenco podem ocorrer sem aviso prévio.

Ingressos
VIP – 5ª, 6ªfeira: R$140,00
Plateia – 5ª, 6ªfeira: R$120,00
Balcão I – 5ª, 6ªfeira: R$80,00
Balcão II – 5ª, 6ªfeira: R$40,00

VIP – sáb | dom: R$180,00
Plateia – sáb | dom: R$160,00
Balcão I – sáb | dom: R$100,00
Balcão II – sáb | dom: R$60,00

Teatro Alfa
Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro
São Paulo – SP

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

COMPARTILHE ESTE POST

COMPARTILHE

COMPARTILHE

Thais Polimeni

Thais Polimeni

Thais Polimeni é editora e uma das fundadoras do blog Cult Cultura e, ao lado de Leonardo Cassio e Daniel Ávila, é sócia-diretora da Carbono 60 - Economia Criativa. Publicitária, jornalista, paulistana, tiete e geminiana, Thais é viciada em teatro, cappuccino e wi-fi. Dizem que é descendente direta de Buda, mas na TPM, nem ela se aguenta. É colunista do Jornalirismo e tem seu alter-ego publicado aqui: facebook.com/thaisPOULAINmeni

RELACIONADOS