Fechar Menu [x]

Vinicius de Vida, Amor e Morte

Artes e Espetáculos | Música 19/03/14 - 02h Thais Polimeni

bannervinicius

Aqueles cadernos de Enquete que existiam na minha infância/ adolescência serviram principalmente para exercitar o autoconhecimento e o poder de escolha. “Qual é sua música preferida?”, “De qual cor você mais gosta?”, “Qual comida você acha mais saborosa?”. Se não fossem esses cadernos, eu nem perderia meu tempo escolhendo entre amarelo e rosa, ou entre lasanha e strogonoff.

Música era a pergunta mais difícil pra mim. Eu gostava de tantas… Até meu pai comprar o CD “Toquinho e Vinícius” e, ainda na infância, eu me apaixonar por “Aquarela”. “Aquarela” foi a primeira música que eu optei como preferida, com convicção, e eu passava dias inteiros ouvindo “Toquinho e Vinícius”, mesmo sem entender o que era “Saravá” ou “Na tonga da mironga do kabuletê”.

Quando comecei a trabalhar com produção, Vinícius de Moraes voltou ao meu dia-a-dia, com o projeto “Como Dizia o Poeta”, da cantora Ana Gilli. Durante 3 anos, ouvia as músicas de Vinícius quase que diariamente, pesquisava sua biografia para escrever os projetos para editais e cheguei até a fazer uma reunião com a filha dele, que cuidava dos Direitos Autorais das obras do pai.

Neste domingo, revivi todos esses momentos quando assisti ao espetáculo “Vinicius de Vida, Amor e Morte”, em cartaz no Sesc Santo Amaro, em São Paulo. Com cenas criadas a partir dos poemas e canções de Vinícius de Moraes, a cia. Coisas Nossas (a mesma que fez “Noel Rosa, o Poeta da Vila e Seus Amores“) nos transporta para o mundo de amor, amizade, boemia e cultura do nosso grande Poetinha.

Ao entrar no teatro, somos recepcionados pela delicada “A Casa”, música-tema da infância de muita gente. Depois, vem os poemas, os afrossambas, as músicas de amor, as declamações feitas ao lado de grandes personalidades, Porque hoje é Sábado… Tudo isso dando aquela nostalgia de uma época tão rica e tão divertida. Ao final, Vinícius nos pede, sabiamente: “Chega da Saudade”, e saímos do teatro gratos pela oportunidade de reviver a obra deste poeta que tanto nos ensinou sobre Vida, sobre Amor e que nunca morrerá.

Vinicius de Vida, Amor e Morte
De 7/03 a 13/04/2014
Sextas, 20h; Sábados, domingos e feriados, 19h
R$ 16,00 (Inteira), R$ 8,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes), R$ 3,20 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes)
Classificação: 14 anos
Duração: 90 minutos

SESC Santo Amaro – Espaço das Artes
Rua Amador Bueno, 505 – Santo Amaro. São Paulo -SP
Tel: 5541-4000
Capacidade: 50 lugares

Tags: , , , , , ,

COMPARTILHE ESTE POST

COMPARTILHE

COMPARTILHE

Thais Polimeni

Thais Polimeni

Thais Polimeni é editora e uma das fundadoras do blog Cult Cultura e, ao lado de Leonardo Cassio e Daniel Ávila, é sócia-diretora da Carbono 60 - Economia Criativa. Publicitária, jornalista, paulistana, tiete e geminiana, Thais é viciada em teatro, cappuccino e wi-fi. Dizem que é descendente direta de Buda, mas na TPM, nem ela se aguenta. É colunista do Jornalirismo e tem seu alter-ego publicado aqui: facebook.com/thaisPOULAINmeni

RELACIONADOS